Blog

7 de dezembro de 2023
|

ANIMAPARQUE | CENA 2 – O FUTURO CHEGOU.

No dia 30 de novembro de 2023, o ANIMAPARQUE é oficialmente inaugurado em Cataguases. Após 5 anos de trabalho e esforço de muita gente, chega o momento de apresentar publicamente o parque criativo e educativo do Polo Audiovisual da Zona da Mata de Minas Gerais.

Em um primeiro ato solene, a inauguração contou com a participação de Mônica Botelho (Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho), Lavínia Rodrigues (Universidade do Estado de Minas Gerais), Rosângela Lima (Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de Cataguases), Eduardo Mantovani (Energisa Minas Rio) e Cesar Piva (Agência de Desenvolvimento do Polo Audiovisual da Zona da Mata de Minas Gerais).

.

Já na abertura, os presentes foram impactados pela imagem de Humberto Mauro contemplando horizontes e Brasis que inspiram até hoje todo o trabalho realizado no Polo Audiovisual da Zona da Mata. Com um grande público, de pessoas vindas de diversas regiões do país, a inauguração foi prestigiada por artistas, cineastas, produtores, jornalistas, empresários, autoridades públicas, representantes de instituições locais, estaduais e nacionais.

“Sejam todas e todos muito bem vindos ao evento de inauguração do ANIMAPARQUE”, foi a saudação dos apresentadores Renatta Barbosa e Igor Fernandes para uma grande plateia que lotou o estúdio.

Após a exibição de vídeos institucionais, uma apresentação inicial coube a Cesar Piva, como presidente da Agência de Desenvolvimento do Polo Audiovisual da Zona da Mata de Minas Gerais e do Instituto Fábrica do Futuro.

Cesar Piva destacou o difícil contexto vivenciado nos últimos tempos em nosso país, período no qual o projeto foi construído, mas superado com garra e dedicação de muitas pessoas e instituições. Lembrou da importância das políticas públicas e de uma rede de cooperação sólida, envolvendo especialmente o uso estruturante das isenções fiscais através das Leis de Incentivo à Cultura, dos programas de regionalização do Fundo Setorial do Audiovisual da Agência Nacional de Cinema – ANCINE, do compromisso e da participação decisiva do Grupo ENERGISA em apoio às ações do Polo Audiovisual. 

.     

Eduardo Mantovani, presidente da Energisa Minas Rio e da Fundação Cultural Ormeo Junqueiro Botelho, destacou em sua fala o compromisso histórico da Fundação e do grupo empresarial com a Cultura, Educação e o Desenvolvimento regional. Lembrou também da importante relação que o ANIMAPARQUE terá com o RIO POMBA VALLEY, projeto liderado pela ENERGISA que irá incentivar a região para uma nova economia, negócios e desenvolvimento sustentável.

.

Rosangela Lima iniciou sua apresentação lembrando da assinatura do Consórcio Intermunicipal de Cultura assinado em 2012, envolvendo as prefeituras de Cataguases, Muriaé, Itamarati de Minas e Leopoldina. Agora, como Secretária Municipal de Cultura e Turismo de Cataguases, anunciou a parceria da Prefeitura com o ANIMAPARQUE nas produções audiovisuais aprovados pela Lei Paulo Gustavo do município.

Para Flavia Moreira, diretora de audiovisual e produtos digitais da Empresa Mineira de Comunicação (EMC), participando como representante do Governo de Minas Gerais no evento, Cataguases é um exemplo de união entre governos, empresas privadas, escolas e produtores, referência para toda Minas Gerais e outras regiões do país. Destacou também a força da Animação e o quanto o ANIMAPARQUE poderá contribuir para consolidar o setor em Minas Gerais e no Brasil.

No fechamento da mesa oficial, a reitora Lavinia Rodrigues da Universidade do Estado de Minas Gerais – UEMG, destacou o valor da arte na vida humana e salientou a ousadia da parceria entre a Universidade e o Polo Audiovisual, com a criação do curso de graduação em Cinema e Animação. Destacou também a importância de uma universidade do estado, pública e de qualidade, que tem em sua missão o compromisso de contribuir com o desenvolvimento regional. 

UM PARQUE ANIMADO!

A inauguração do ANIMAPARQUE impulsiona um novo ciclo para o Polo Audiovisual da Zona da Mata, com foco em uma nova missão: tornar-se um centro de referência e excelência de formação, criação e produção no setor de Animação

Para contextualizar essa nova missão, foi exibido o mini-documentário “Parque Animado“, apresentado por Cesar Piva. A produção foi realizada pelo Polo Audiovisual ao longo dos últimos dois anos, com a direção de Jader Barreto e Rafaella Lima, talentos locais da produtora Cabeça de Vento.

No vídeo, Cesar Piva destaca várias ações, entre elas: a realização em 2019 do edital de COINVESTIMENTOS REGIONAIS, em parceria com a ANCINE, que selecionou importantes projetos de Animação e que estão em produção desde 2022, como a série “Cosmo, o Cosmonauta” de Guilherme Fiúza e o longa-metragem “Ana, en passant” de Fernanda Salgado; e a implantação do curso de graduação “Tecnologias em Cinema e Animação” com a Universidade de Estado de Minas Gerais – UEMG, que terá sua terceira turma em 2024, alcançando cerca de 70 estudantes locais e de outras regiões do país.

.

Na sequência da programação foi exibido também um novo vídeo com depoimentos de parceiros estratégicos no desenvolvimento de projetos de cooperação nacional e internacional, para serem realizados no ANIMAPARQUE já a partir de 2024.

Assista ao vídeo com depoimentos por este LINK.

É com esse conceito inédito de Estúdio-Escola que nasce o ANIMAPARQUE, um espaço de estudar, imaginar, criar e produzir, ou seja, um lugar de aprender-fazendo“, afirma Cesar Piva. 

O ANIMAPARQUE está estruturado em dois núcleos: o ESTÚDIO, composto de ambientes para produção e pós produção de audiovisual, áudio e trilhas sonoras, ateliês técnicos de cenografia, arte e figurino, camarins, sala de direção e base de produção. Já o seu núcleo ESCOLA conta com um auditório multiuso, três salas de aulas, laboratório multimídia, biblioteca-midiateca, área expositiva e salas de gestão. O ANIMAPARQUE é também um parque público, oferecendo espaços para eventos e festas comunitárias, exibição de filmes e apresentação de espetáculos culturais, abertos à população.

.

.

O ANIMAPARQUE tem a gestão da Agência de Desenvolvimento do Polo Audiovisual da Zona da Mata de Minas Gerais – APOLO, em parceria inicial com o Instituto Fábrica do Futuro, a Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho, a Universidade de Estado de Minas Gerais – UEMG e o patrocínio principal da empresa ENERGISA Minas Rio, através da Lei de Incentivo à Cultura da Secretaria de Estado da Cultura e Turismo de Minas Gerais



0 Comentários


Compartilhe conosco sua opinião

Ela é muito importante para melhorarmos nossos serviços

Deixe seu comentário